O verdadeiro Santuário

13 parte

1 parte - 2 parte - 3 parte - 4 parte - 5 parte - 6 parte - 7 parte - 8 parte

9 parte - 10 parte - 11 parte - 12 parte - 13 parte - 14 parte - 15 parte - 16 parte

 

                     Nova Jerusalém       =     Tabernáculo de Deus

 

A arca da aliança (Êxodo 25:10)

 

Não é o tabernáculo uma representação do corpo?

Qual a parte do corpo que melhor representaria a arca da aliança?

A arca da aliança era um objeto construído com as seguintes finalidades; guardar, preservar e transportar as tábuas da lei.

Mas, aonde é que Deus deseja que sua lei, isto é, seu amor (Rm. 13:10, Mt. 22:36) Sua natureza ou caráter (Rm. 7:14; I João 4:8) seus atributos ou virtudes (Sl. 19:7-8; Rm. 7:12; Sl. 119: 142) estejam para sempre?

 (Sal. 119:11; Ez. 36: 26-27; Heb. 8:10) Os textos bíblicos falam por si só.  No coração e/ou na mente de todos os homens.

A arca prefigura o coração e mente do  homem,

As tábuas da lei contendo os dez mandamentos, prefiguravam a presença de Deus no coração e na mente do homem, que afastado de Deus, encontra-se endurecido pelo pecado, como uma fria pedra. Mas ao mesmo tempo as tábuas da lei, representavam a eternidade e a imutabilidade do caráter Divino.

Assim como o coração fica protegido na cavidade torácica e o cérebro protegido pelo crânio,  as tabuas da lei ficavam guardadas no interior da arca. 

Ninguém poderia olhar para o interior da arca ou mesmo toca-la a não ser o sumo sacerdote que prefigurava Cristo, nosso sumo sacerdote, isto é óbvio, visto que ninguém tem o poder de olhar ou de ver o que esta dentro do coração e da mente do homem a não ser Cristo, e Deus o Pai que deu a Cristo este poder.

Informações adicionais sobre a arca:

Material: A arca era um baú feita de madeira de acácia revestida de ouro puro no interior e exteriormente. Possuia uma cobertura, uma tampa, denominada propiciatório, que continha em sua superfície, a imagem de  dois querubins de ouro puro.

Ninguém poderiam tocá-la, seria morte certa (Uzá morreu por ter tocado na arca - IISm 6:6 e 7 e alguns homens da cidade Bete-Semes que olharam para dentro da arca - I Sm. 6:19 ). Ex 25:10-16 Dentro da arca havia as tábuas de pedra com os 10 mandamentos escritos por Deus.

A tampa da arca que chama-se propiciatório, segundo 1 Jo 2: 2 e 4: 10 era uma figura ou símbolo do Messias. "...ele é a propiciação pelos nossos pecados". Isto significa que a tampa da arca simboliza Cristo porque deu a sua vida em nosso favor, e ainda intercede por nós. Mas também simboliza todo verdadeiro cristão, que dá a sua vida em favor dos irmãos e que intercede por todos homens. (I João 3:16; I Tm. 2:1)

A arca construída pelo povo de Deus e que foi colocada no santíssimo, logo após a destruição do templo de Salomão pelos babilônicos em 586 a.C, segundo a tradição judaica diz que ela foi escondida por homens santos antes de a cidade ser saqueada, por isso ela não estava no templo de Zorobabel nem o de Herodes.

Deus escreveu os mandamentos em duas tábuas de pedra que Ele mesmo tinha lavrado e o entregou a Moisés. Pela rebeldia do povo, Moisés as quebrou e então teve de lavrar outras pedras e levá-las a Deus que escreveu novamente os mandamentos. Essas tábuas foram colocadas dentro da arca, como símbolo da Justiça Divina. (Ex 24:12; 31:18; 32:19; 34:1; 34:4).

Propiciatório: O vocábulo assim traduzido se deriva de uma raiz que significa "cobrir", "perdoar" o pecado. Representava a misericórdia divina. Em forma significativa, o propiciatório era feito de ouro puro, o que implicava que a misericórdia é o mais precioso dos atributos divinos. Estava localizado por cima da lei, assim como a misericórdia sobrepuja à injustiça (Sl 85:10; 89:14). Eram necessários tanto a arca como sua justiça como o propiciatório com sua misericórdia para revelar plenamente a maneira como Deus procede com os homens.

A arca e o propiciatório eram o coração do santuário. Por cima do propiciatório repousava a Shekinah, o símbolo da presença divina. As tábuas da lei dentro do arca atestavam que o reino de Deus está dentro de cada verdadeiro cristão (Lc.17 :20-21) e tem por base a justiça e as normas imutáveis (Sl 97:2), a qual devem ser respeitadas até pela graça divina.

Apoiando-se na lei, Deus e o homem não podem voltar a unir-se, pois agora o pecado os separa (Is 59:1,2), então, o propiciatório orvalhado de sangue, aproximam-nos um do outro, graças a mediação de Cristo em nosso favor (Hb 7:25).

Shekiná: Uma luz misteriosa que pairava sobre o propiciatório, era a manifestação da presença de Deus.

Conteúdo da arca: Conforme II Cron. 5:10, havia apenas as tábuas da lei, mas em Heb. 9: 4 aparentemente diz que além dos 10 mandamentos, havia também uma vasilha com maná e a vara de Arão.

Contudo, Êxodo 16: 33-34 e Números 17: 10-11 revelam que este objetos não ficavam dentro da arca, mas perante a arca, assim como o livro da lei, que fora colocado não dentro da arca, mas ao lado dela (Dt. 31:26)

Aqui é necessário fazer um comentário sobre esses 3 itens:

VARA DE ARÃO: O cajado de Arão floresceu como uma confirmação que Deus havia escolhido a Tribo de Levi para o sacerdócio e a Arão, representante dessa tribo, como líder religioso da nação. Foi colocado perante arca como um símbolo da Liderança Divina. (Nm 17:10). Símbolo também do evangelho que deve ser anunciado a todas as pessoas (evangelho eterno), ele usa a vara para ir adiante, a videira verdadeira. Os cristãos tem a responsabilidade de conduzir a mensagem da salvação a todos os povos. Cristo é a videira Jo 15:1, nós somos os ramos Jo 15:5.

O MANÁ: O maná foi o alimento enviado por Deus para alimentar o povo de Israel quando estavam viajando pelo deserto a caminho da terra prometida. Era uma massa alimentícia que pela manhã estava ao alcance das pessoas enquanto o sol não o derretesse. Esse milagre aconteceu durante 40 anos, até quando eles entraram em Canaã. Havia uma porção no maná num vaso diante da arca como símbolo da proteção e do cuidado Divino. (Ex 16:4). Outra lição que podemos tirar é que Deus não alimenta preguiçosos. O Senhor enviava o maná ao deserto, ele caia no deserto, quem quisesse, então, deveria ir lá buscar, se não fossem ficariam com fome, ninguém poderia trazer o do outro, mas cada um devia buscar o seu, se trouxessem mais do que o devido apodreceria, somente na sexta-feira por causa do sábado era permitido trazer o dobro. Assim, a "ração" que você precisa para se alimentar espiritualmente, é você quem deve ir buscar. Todos os dias caia o maná, cedinho e já estava lá, todos os dias precisamos do alimento espiritual, se não formos pegar o "maná espiritual" o calor do sol derreterá e morreremos de fome. Quando não nos alimentamos do "maná" que é a busca diária de Deus todos os dias pela manhã, então os dardos inflamados do maligno poderão nos derreter, o calor dos problemas e das provações nos colocarão em uma posição tão delicada a ponto de sermos derretidos pelos ventos dos problemas.

A LEI: Segundo o livro de Gl 3:24-25 a lei do Senhor nos serve como AIO. Na época de Cristo AIO nada mais era do que um guardião, guia de meninos. Entre os gregos e os romanos o nome foi aplicado a escravos fieis que carregavam ou supervisionavam a vida de meninos que pertenciam aos ricos. Assim a Lei nos conduz a Cristo pois esse é seu objetivo. Ela é o único objeto pelo qual não foi inspirado, pois Deus mesmo a escreveu, pelo seu santo dedo. Ex 31:18 É eterna e ainda válida para nossos dias. Sl 19:7 Tudo passará porém ela subsistirá Mt 5:18.

Comentário: No Velho Testamento registram-se vários milagres em relação a arca, quando as águas do Rio Jordão dividiram-se e assim os israelitas puderam passar, cruzando em terra seca. Pela arca as muralhas de Jericó caíram de maneira miraculosa e várias outras ocasiões que mostravam que a arca era muito respeitada e levada com muito cuidado.

Tais acontecimentos contribuiram para que o povo de Israel, respeitasse mais a arca do que o  Deus da arca.

Retorne ao artigo anterior  Clique aqui e saiba mais...

Retornar ao início desta página Retornar a principal

Clique para retornar a capa de abertura do site

 


Internet Bereanos